10/08/2011 – Boa fama requer competência profissional

Quando ele entra em campo, é um show de dribles e de gols. Fora da arena, chama holofotes por onde passa. Este é Neymar da Silva Santos Junior, de 19 anos, atacante do Santos e da Seleção Brasileira e considerado o melhor jogador do futebol do país. Além de bom de bola, o garoto é também fenômeno publicitário: ganha mais de R$ 1 milhão por mês, sendo que R$ 850 mil só com propagandas.

Para Licia Egger, consultora de etiqueta corporativa, o sucesso com a publicidade só é possível porque ele é um jogador excepcional. “Quanto mais a pessoa se destaca, mais abertura tem para imprimir a sua marca pessoal. O Neymar só pode se distinguir em seu visual, com esse cabelo moicano, porque é muito bom. Caso contrário, pareceria desajustado”, explica.

Especial

Guardadas as devidas proporções, no mundo corporativo as pessoas consideradas populares, além de se destacar como profissionais, são agradáveis com os outros e, geralmente, são imitadas e formadoras de opinião. “Ninguém pode querer ser especial, se de fato não o for”, diz Licia.

“Uma imagem que pode vir à cabeça são daqueles adolescentes famosos na escola, que são bonitos, fortes ou bons no esporte. Já no trabalho, os famosos são aqueles mais ousados, que conseguem ótimos resultados e inspiram os demais. De qualquer modo, a excelência em algum aspecto, seja no esporte, seja no trabalho, é o requisito para alguém se tornar popular. Além, é claro, de manter um bom relacionamento interpessoal’”, acrescenta a consultora de carreira Juliana Mello.

Vantagem

A vantagem de ser uma pessoa considerada popular e querida por todos não vem, necessariamente, representada em dinheiro, como no caso de Neymar. “Se a organização tiver olhos para enxergar o potencial dessa popularidade, esse profissional pode receber treinamentos de liderança e de motivação para fortalecer esses aspectos positivos em sua personalidade”, diz Juliana.

Miopia

O problema, muitas vezes, é enxergar a si mesmo com suas reais competências. “Nem todo mundo tem consciência de suas próprias dificuldades. Existe uma grande defasagem em relação a como a pessoa se vê”, acrescenta Víctor Martínez, CEO da Thomas Brasil, empresa especializada em gestão de pessoas.

Nesse sentido, há uma grande diferença entre ser popular e ser chato – por exemplo, aquela pessoa que se considera muito importante e quer chamar a atenção dos demais enviando milhares de e-mails ou falando alto.

“Muita gente acha que ser popular é ser conhecido, ficar de bate-papo, ir a muitas festas. Contudo, no ambiente de trabalho se esse profissional estiver sempre saindo, sempre conversando, sempre rindo, passará a imagem de alguém descomprometido. Isso porque quem sai muito à noite não consegue produzir bem de dia”, afirma Licia.

Maria Carolina Nomura, iG São Paulo

Fonte: http://www.qualidadebrasil.com.br

Anúncios

0 Responses to “10/08/2011 – Boa fama requer competência profissional”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




Siga-nos

Estatísticas do Site

  • 39.766 Acessos

Clique para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 8 outros seguidores

Agenda

agosto 2011
S T Q Q S S D
« jul   set »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: